VIDE - Festival de Artes pela Rua está de volta com a sua 2ª edição! Entre 12 e 14 de agosto de 2022 em Castelo de Vide e Póvoa e Meadas, trazemos para a rua espetáculos contemporâneos nas áreas do teatro, dança, música, narração oral e novo circo. Castelo de Vide é um concelho com um forte e belo património arquitetónico e natural. O VIDE traz os artistas e as suas obras a este lugar ímpar do país, mas, sobretudo, torna acessível cultura contemporânea de qualidade à sua comunidade. Convidamos o público a viver a rua, o ar do exterior, a envolvente paisagística e, ao mesmo tempo, a encontrar-se com a Arte habitantes, propomos encontros artísticos surpreendentes que motivam outras perspetivas e vivências dos seus hábitos e lugares.

Aos visitantes, momentos de fruição artística que virão enriquecer a sua passagem por este território. Importa-nos que o VIDE continue a tecer uma relação de proximidade entre a comunidade, os visitantes e os artistas, por isso, vamos ao seu encontro através das Leituras à Soleira da Porta e do VIDEFAZ, e damos também continuação a mais uma fanzine, a VIDEZINE2.

A todos um excelente VIDE! DIVIRTAM-SE e APRECIEM!

©Susana Chicó

CLOWN

12 AGO
10h00 | Jardim João José da Luz
Castelo de Vide
(Espetáculo integrado na Semana da Juventude.)

D. CATITA
CIA BIPOLAR

Uma palhaça, um momento, num encontro pleno de surrealismo poético. “Dona Catita” é um espetáculo surpreendente onde a comédia visual, a musicalidade e a manipulação de objetos criam um ambiente mágico e fantástico.

Dona Catita é uma palhaça solitária, habitada por várias personagens que insistem em mostrar-se. Com elas, vai tomar o seu cafezinho e partilhá-lo com o público.

Uma ode às pausas, aos sonhos e ao aceitar-se.

Ficha Artística

Ideia e Interpretação: Cátia Vieira
Direção:
Eva Ribeiro
Sonoplastia:
Dulce Moreira
Figurino:
Conceição Ferreira

©Vitorino Coragem

CONTADORES DE HISTÓRIAS

12 AGO
21
h30 | Jardim do Rossio
Póvoa e Meadas

CRISTINA TAQUELIM

HISTÓRIAS QUE CABEM NUM OUVIDO  

São mínimas estas histórias, tão mínimas  que às vezes fica divertido, escutar e repetir , escutar e repetir, para que mesmo pequenas, elas fiquem no ouvido . 

Cristina Taquelim (Lagos, 1964)
Mediadora de leitura| Contadora de histórias | Bibliotecária | Licenciada em Psicologia Educacional | Foi  entre 1990  e  2020,  técnica da Biblioteca Municipal de Beja. Gosta de escrever cartas  e tem o vício da metáfora. Às vezes duvida. Tem voz grave. Gosta de contar.  Às vezes escreve. Ainda teme a morte. Recusa-se a viver sem estar espantada por existir.

CONTADORES DE HISTÓRIAS

13 AGO
10h00 | Praça de Armas do Castelo
Castelo de Vide

RODOLFO CASTRO
(O pior contador de histórias do mundo)

Uma deliciosa seleção de histórias incorretas e surpreendentes. Carregadas de humor, delírio e muita emoção. Episódios de vida inacreditáveis, relatos fantásticos para além do mar, contos literários sem tempo nem lugar. 

Para rir e emocionar-nos juntos.

©Ana Viotti

MÚSICA

13 AGO
18h30 | Jardim João José da Luz
Castelo de Vide

FILHO DA MÃE

O regresso de Filho da Mãe é uma conquista. Primeiro, para ele próprio, o Rui; depois, para nós todos, que o esperávamos há demasiado tempo. Atravessando da pior maneira uma pandemia transformada em túnel sem saída aparente, a luz que foi cintilando no seu fim nem sempre correspondeu à realidade, acabando por se misturar com várias ficções, adicionando tormentos, dúvidas e incertezas. A certa altura, foi justamente esta falta de noção do que é ou não real que acabou por servir de inspiração, uma incerteza que se multiplicou na hipótese bem credível de vários discos editados, entre o anjo acústico e o demónio eléctrico, entre rascunhos no Alentejo e mais rascunhos em Lisboa, feita de palavras com duplo sentido dedilhadas durante horas sem fim. Inevitavelmente, a espera tornou-se numa obrigação, como uma peregrinação necessária. No fim de tudo, agora mesmo, Rui confessa-nos que adiar foi a melhor opção de todas, para sair vivo desse tal túnel e criar, da dor e do tempo, a música que Filho da Mãe precisou de fazer.

“Terra Dormente” foi gravado ao longo de dois anos entre Lisboa (Music Box e Fabrica de Pão - CTL) e Ílhavo (Capela da Biblioteca Municipal de Ílhavo e Fábrica das Ideias na Gafanha da Nazaré - 23 milhas)

©Sofia Costa

NOVO CIRCO

13 AGO
21h30 | Praça de Touros
Póvoa e Meadas

MUTABILIA
TEATRO DO MAR

MUTABILIA é um espetáculo de circo contemporâneo e teatro físico, assente numa estrutura cenográfica minimalista, mutante e rotativa. Inspirada numa ideia de “casa”, a sua forma altera-se ao longo do espetáculo devido ao seu movimento. A cenografia contém, nos seus aspetos formais, conteúdos intrínsecos à dramaturgia da criação, partindo de princípios relacionados com a instabilidade do nosso tempo, refletindo, simultaneamente, sobre o nosso comportamento e estados emocionais, em espaço público, privado e íntimo. A matéria e a substância, inclusive o corpo, passaram a significar uma utopia cibernética, o isolamento como sendo uma meta, uma ilha flutuante onde cada ser se protege, dentro de uma omnipotência anónima e plural da realidade virtual produzida em massa.

©Thiago Liberdade

TEATRO / DANÇA

14 AGO
10h00 | Praça de Armas do Castelo
Castelo de Vide


ÁLBUM DE FAMÍLIA
COSTANZA GIVONE

A minha avó adorava organizar festas, convidava toda a família.

Uma atriz despe camadas de roupa à medida que revela fragmentos da história da sua família. Cada roupa, uma personagem.  Os espectadores vão tornando-se membros da família da atriz, partilham memórias reais e imaginárias. Dança e palavra convivem num espetáculo para teatros e salas não convencionais, que fala da enorme variedade de famílias que hoje existem, as suas diferenças e afinidades.

Ficha Artística

Criação: Costanza Givone
Interpretação:
Natacha Campos
Figurinos:
Sofia Silva
Cartaz/álbum:
Madalena Matoso
Produção:
Ana Carvalhosa, Cláudia Santos e Susana Lage
Co-produção:
CRL- Central Elétrica
Agradecimentos:
André Braga, Cláudia Figueiredo, João Vladimiro, alunos e professores do primeiro ciclo da escola OSMOPE

CONTADORES DE HISTÓRIAS

14 AGO
17h00 | Jardim Garcia de Orta
Castelo de Vide

ANTONELLA GILARDI

Narradora, formadora na área do teatro e da educação não-formal, trabalha em escolas, instituições e bibliotecas. Tem contado em festivais de narração, no país e no estrangeiro. Fugindo da narrativa mais tradicional, gosta dos contos que vivem de ironia e de uma ilógica harmonia, rigorosa e surreal, de contos que viram o mundo de avesso, que desconcertam e perguntam. E o canto também vai entrando nos contos, porque diz que o canto é a terra onde a voz fortalece as suas raízes.


©Mariana Romão

MÚSICA

14 AGO
18h30 | Jardim João José da Luz
Castelo de Vide


SENHOR DOUTOR

Após ter lançado o primeiro EP em outubro de 2018, o Senhor Doutor lançou o primeiro álbum, “O Amor é sempre a mesma coisa”, um disco que surge como uma ode dedicada ao mais nobre sentimento. Com canções que nos trazem estórias de romance, viradas para todos os flancos, menos para os que realmente interessam, este álbum promete ser uma flecha do cupido, mas com a subtileza de uma pedra da calçada arremessada. E a primeira, já foi atirada. 

Ficha Artística

Jorge Ferreira - guitarra e voz
Ricardo Gomes - guitarra e flauta
Telmo Nobre - piano
Fábio Rocha - baixo
Miguel Gomes - vibrafone
João Santos - bateria
Miguel Moleiro - técnico de som

LEITURAS À SOLEIRA DA PORTA

10 e 11 de agosto A partir das 18h00 | Sílvia Pinto Ferreira
Ao encontro dos moradores pelas Ruas de Castelo de Vide

De dentro dos livros para as ruas, pela calçada, nos larguinhos, escadarias ou no degrau da porta, a leitura faz-se ouvir e sentir a quem a encontrar pelo caminho. “Leituras à soleira da porta” propõe momentos performativos de leitura em voz alta pelas ruas do centro de Castelo de Vide, procurando ir ao encontro de moradores e visitantes. Nesta bagagem de leituras, há contos, poesias, cartas, notícias, receitas, gestos, olhares, e até, quem sabe, as linhas da tua mão.

Inscrições e informações info.pedepano@gmail.com 93 433 45 42

TODOS AO JARDIM!

9 e 11 de agosto
A partir das 21h00
Jardim do Rossio
Póvoa e Meadas
LABORATÓRIO INTERGERACIONAL PARA PRÁTICAS ARTÍSTICAS
Equipa multidisciplinar Pé de Pano

A EMOÇÃO DE LER EM VOZ ALTA

13 de agosto 17h00
Salão Paroquial
Póvoa e Meadas
W
orkshop com Rodolfo Castro
destinado a todos os contadores à solta por aí

FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA DO VIDE - FESTIVAL
Direção Artística e Produção
Maria Belo Costa || Produção Cristina Vilhena || Apoio à produção Beatriz Filomeno || Design Gráfico Raquel Fradique || Direção Técnica Pedro Fonseca/Colectivo, Ac || Fotografia e Video Helder Milhano